Magos

2 de janeiro de 2021

Nós vimos a sua estrela

A Epifania celebra o esplendor da Luz do Natal. Desponta a aurora de um novo dia que ilumina todos os povos e nações. A imagem visual desta Boa Notícia começa numa estrela especial que orienta o caminho: «Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-l’O». Adoremos o nosso Salvador!
2 de janeiro de 2021

Epifania

A Epifania celebra o esplendor da Luz do Natal. Desponta a aurora de um novo dia que ilumina todos os povos e nações. É a festa da universalidade da salvação. A imagem visual desta Boa Notícia começa numa estrela especial que orienta o caminho: «Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-l’O». Adoremos o nosso Salvador!
15 de dezembro de 2020

Acolher o sinal espiritual

A coincidência deste fenómeno, tão magnífico como incomum, em ano tão atípico seja uma oportunidade renovada para acolhermos o sinal teológico e espiritual da Estrela de Belém. Com o coração aberto ao assombro, contra todas as tentativas dos que pretendem empobrecer o sentido da vida, de olhos bem levantados, perceberemos a Estrela que nos guia desde o início e nos quer conduzir à meta.
4 de janeiro de 2020

Por outro caminho

O Natal completa-se com a chegada a Belém de uns personagens misteriosos que trazem ouro, incenso e mirra: são os ‘Reis’ Magos. Um rei há que ser procurado no palácio da capital, ou seja, a casa de Herodes, em Jerusalém. Enganaram-se. Este Rei dos reis só será encontrado entre os pobres, na ‘menor’ cidade judaica.
3 de janeiro de 2020

A mesma herança

O nascimento de Jesus não é só uma boa notícia e uma grande alegria para o povo judeu. É também para todos os povos que reconhecem a presença e Deus e o acolhem nos seus corações. Por isso se chama «Epifania», quer dizer, manifestação de Deus a toda a gente, aqui representada pelos Magos.
3 de janeiro de 2020

Da esperança à alegria

A Epifania é a manifestação de Deus a «uns Magos». Vista na perspetiva daqueles homens, pode-se apelidar esse acontecimento de «Festa dos Magos» ou «Dia de Reis». Mas o mais importante é que Deus se dá a conhecer e, neles, dá-se a conhecer a todos os tempos e culturas, até hoje.