pão

24 de julho de 2021

Décimo Sétimo Domingo, Ano B

Liturgia familiar para o Décimo Sétimo Domingo (Ano B): recisamos de acolher a eucaristia, mais do que rotineiro ritual ou ato de devoção, como uma refeição profética e salvífica, que alimenta a nossa fé e a todos nos implica no concreto da vida.
23 de julho de 2021

Uma refeição

A eucaristia é o cumprimento da promessa feita por Jesus Cristo de saciar a nossa fome e sede, preencher todos os nossos vazios. É esse alimento que nutre a nossa vida e nos permite caminhar com vigor nas múltiplas vivências do quotidiano. Por isso, a eucaristia ou se come, ou não é eucaristia!
22 de julho de 2021

Deu graças e distribuiu-os

Na eucaristia, Deus oferece-nos o duplo alimento da Palavra e do Pão. Os textos bíblicos propostos para o Décimo Sétimo Domingo (Ano B) despertam em nós o desejo de celebrar esse ‘alimento’. O mesmo fará Jesus Cristo, ao revelar-se como aquele que sacia todos os famintos: «tomou os pães, deu graças e distribuiu-os [...] e comeram quanto quiseram».
31 de julho de 2020

Contemplar

O relato do evangelho é mais do que um gesto maravilhoso. É a prova de que nada nem ninguém nos pode separar do amor de Deus (como lembra a Carta aos Romanos). Os cinco pães e os dois peixes são a matéria visível desse maior alimento (invisível): o amor.
9 de maio de 2020

A alegria partilhada

Na mesa, realiza-se a dupla união dos crentes com Jesus Cristo, pela Eucaristia, e dos irmãos entre si, pelo pão partido, repartido e partilhado. Numa mesa assim, antecipa-se a alegria do Reino dos Céus. Se não nos empenharmos, aqui e agora, a promover mesas assim, não teremos qualquer elemento para comparar o Reino e, portanto, não teremos modo de o fazer compreender, nem desejar.