Amor

20 de novembro de 2020

Trigésimo Quarto Domingo, Ano A

A solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo coloca um ponto final no ano litúrgico que percorre a vida, morte e ressurreição do Senhor. Para nós, cristãos, o fim dos tempos já teve o seu início em Jesus Cristo, que nos há de conduzir até à plenitude.
20 de novembro de 2020

Examinados pelo amor

Os «irmãos mais pequeninos» nos quais Jesus Cristo se torna presente e visível são os famintos, os sedentos, os nus, os peregrinos, os doentes, os prisioneiros... Todos os que praticam as obras de misericórdia, recebem o convite: «Vinde, benditos de meu Pai; recebei como herança o reino».
19 de novembro de 2020

Vinde, benditos de meu Pai

A solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo coloca um ponto final no ano litúrgico. O ser humano sempre se questiona sobre o final da história e sobre os sinais que o anunciam e confirmam. Para nós, cristãos, o fim dos tempos já teve o seu início em Jesus Cristo, que nos há de conduzir até à plenitude.
17 de novembro de 2020

Começa nos mais próximos

O amor fraterno começa com aqueles que estão sempre ao nosso lado, em casa, na rua, no trabalho, na escola, no quotidiano. O mesmo se passa nas comunidades paroquiais. Comecemos pelos que estão connosco, pelos vizinhos, pelos membros do grupo, também os que são diferentes de nós. A diferença acolhida com amor fraterno deixa de ser um distanciamento para ser mútuo enriquecimento.
12 de novembro de 2020

Filhos da luz

O alerta do Trigésimo Terceiro Domingo (Ano A) não é para meter medo ou afligir perante qualquer acontecimento inesperado e trágico. É para nos despertar à vigilância ativa e responsável dos ‘talentos’. Os que assim procedem contam-se entre os ditosos «filhos da luz e filhos do dia».
7 de novembro de 2020

Trigésimo Segundo Domingo, Ano A

Estes dias mais sombrios do outono e a proximidade do final do ano litúrgico unem a humana finitude ao desejo de infinito. Em sintonia, surge a procura do sentido da vida. É uma época propícia para aprofundar a esperança dos ressuscitados.
6 de novembro de 2020

Saciar a sede

O salmo deste domingo sugere uma metáfora espiritual muito forte para nos ajudar a refletir sobre o nosso encontro com o esposo. É a imagem dos noivos que se amam. É preciosa esta imagem da sede de estar juntos, o passar a noite a pensar no amado, o desejo de encontro, como a necessidade de azeite para alimentar o fogo do amor. É assim a minha relação com Deus?
5 de novembro de 2020

Sede de Vós, meu Deus

Estes dias mais sombrios do outono e a proximidade do final do ano litúrgico unem a humana finitude ao desejo de infinito. É uma época propícia para aprofundar a esperança dos ressuscitados. Crente é aquele que está sedento de Deus, por quem suspira «como terra árida, sequiosa, sem água». Tenho ‘sede’ de Deus?
24 de outubro de 2020

Trigésimo Domingo, Ano A

A palavra de Deus coloca-nos diante do essencial: o imperativo do amor. Assim se expressa o maior mandamento da Lei: «Amarás». O exemplo vem do próprio Deus, fonte e meta do amor.
instagram default popup image round
Follow Me
502k 100k 3 month ago
Share