Acolhimento

13 de julho de 2021

Pai no acolhimento

Acolher as circunstâncias da vida com responsabilidade é, ao mesmo tempo, desenvolver a capacidade de «reconcilia-se com a própria história». Essa é uma das razões pelas quais Jesus Cristo veio «ao nosso meio»: «para que cada um se reconcilie com a carne da sua história, mesmo quando não a compreende totalmente».
5 de janeiro de 2021

Outro modo de ser Igreja

A integração, a criatividade e a generatividade são dinamismos fundamentais, na hora de avaliar as comunidades a propósito dos desafios pastorais provocados pela pandemia. Este é o tempo para «provocar uma mudança de mentalidade» e «reviravolta cultural» liderada por homens e mulheres «sábios e santos dentro de todas as áreas do saber e do agir, criativos da palavra e do amor».
27 de junho de 2020

Décimo Terceiro Domingo, Ano A

Nesta ‘série’, propusemos (re)começar a relação de amizade com Deus. O ponto de referência não está do nosso lado, mas do lado do próprio Deus, que nos mostra, em si mesmo, a dinâmica do amor como doação gratuita e incondicional.
26 de junho de 2020

Acolhimento

O evangelho, quando fala de amar a Jesus Cristo mais do que ao pai ou à mãe ou aos filhos, não está a contrapor diferentes contextos de amor, no sentido de que seja necessário eleger um e recusar os outros. O que nos indica, por exemplo, é que ser cristão não baseia numa segurança familiar, numa tradição que recebida de forma passiva, que pouco ou nada impacta a nossa vida.
25 de junho de 2020

Perder a sua vida

Jesus Cristo apresenta-nos alguns tópicos para avaliar a nossa fé, a nossa amizade com ele: amá-lo mais do que tudo e todos; tomar a cruz para o seguir; praticar o acolhimento. A dinâmica da amizade com o Mestre orienta-se pelo critério do perder para ganhar: «Quem perder a sua vida por minha causa, há de encontrá-la». Ele é o modelo: deu a vida, por amor, para a nossa salvação.
22 de fevereiro de 2020

Coração aberto ao outro

Quando te empenhas em acolher os teus familiares e amigos, Jesus Cristo eleva a fasquia, diz que não é suficiente. O Mestre aponta outro horizonte: mostra que Deus não faz aceção de pessoas; e convida-te a fazer o mesmo. A arte de acolher é exigente, precisa de contínua revisão e renovação.
8 de fevereiro de 2020

Cheio de fraqueza

O que é que nos vem à mente quando somos estimulados a pensar em ‘vulnerabilidade’? A aceitação da vulnerabilidade é sustentada pela saudável autoestima, que permite assumir todas as fragilidades como constitutivas da beleza pessoal. Certo é que a vulnerabilidade não é atitude confortável, mas também não precisa de ser dolorosa.
6 de fevereiro de 2020

Apresentei-me diante de vós cheio de fraqueza

A fragilidade aproxima, é o que mais une as pessoas. Apresentar-se diante dos outros «cheio de fraqueza» é um ato tremendamente poderoso. Aproxima, gera empatia e acolhimento, transforma o estado de espírito, abre à esperança, renova a vida.
18 de janeiro de 2020

Benevolência fora do comum

O acolhimento é uma virtude essencial no caminho da unidade. É outrossim um passo específico da renovação pastoral e paroquial. Começa dentro da comunidade cristã. Alarga-se a todas as pessoas. É a oração em ação, no servir e acolher a todos, sem fazer aceção de pessoas.