Reflexões,

Sinceridade e eficácia

0
Partilhas

A sinceridade e a eficácia são dois tópicos a ter a conta na vida espiritual. O pedido de desculpa, pedir perdão, assim como é necessário nas relações humanas, também o é na relação pessoal com Deus (Pai, Filho e Espírito Santo). O perdão possui uma força regeneradora que perpassa todo o ser. E a vida torna-se mesmo ‘mais bonita’.

PERDÃO

Um pedido de desculpa fortalece as relações de confiança entre as pessoas, contribui para o equilíbrio existencial. Então, por que motivo é tão difícil pedir desculpa?

O Papa Francisco, várias vezes a propósito da vida familiar, tem referido a gramática da ‘desculpa’ como um contributo para tornar a vida «mais bonita», embora reconheça que se trata de uma «palavra difícil». A sua ausência provoca «pequenas fendas» que podem tornar-se «fossos profundos» (bit.ly/13maio2015).

O pedido de desculpa eficaz, segundo estudos citados pelo jornal Público (19 de agosto de 2019), é composto de seis ingredientes: «expressar arrependimento; explicar o que foi feito de errado; reconhecer que se esteve errado; manifestar remorsos; oferecer um reparo para a situação; e pedir perdão». Destes, há dois essenciais: «o reconhecimento da responsabilidade e a oferta de uma solução para o que correu mal».

O pedido de desculpa sincero acontece quando está alicerçado numa «base de autovalorização sólida», declara a psicóloga clínica Harriet Lerner. A partir desse apoio, explicita, «a pessoa pode avaliar o seu mau comportamento e pedir desculpa».

A sinceridade e a eficácia são dois tópicos a ter a conta na vida espiritual. O pedido de desculpa, pedir perdão, assim como é necessário nas relações humanas, também o é na relação pessoal com Deus (Pai, Filho e Espírito Santo).

Aos referidos seis ingredientes próprios do pedido de desculpa eficaz, na relação pessoal com Deus, é bom acrescentar um elemento prévio, preparação que aprimora o sabor: tomar consciência de que se é amado por Deus. É o ponto de partida para um sincero e eficaz exame de consciência. Dá-lhe um sabor mais agradável, saber que somos amados por Deus. Assim se percebe a urgência em dirimir as razões pelas quais uma parte significativa dos católicos se afasta dessa possibilidade sacramental que chamamos de Reconciliação (ou Confissão).

Só quem está em harmonia com a vida, em todas as suas dimensões, ou pelo menos procura esse equilíbrio, está capacitado para perceber a grandeza de um pedido de desculpa. O perdão possui uma força regeneradora que perpassa todo o ser. E a vida torna-se mesmo ‘mais bonita’.