Reflexões breves

17 de novembro de 2020

Começa nos mais próximos

O amor fraterno começa com aqueles que estão sempre ao nosso lado, em casa, na rua, no trabalho, na escola, no quotidiano. O mesmo se passa nas comunidades paroquiais. Comecemos pelos que estão connosco, pelos vizinhos, pelos membros do grupo, também os que são diferentes de nós. A diferença acolhida com amor fraterno deixa de ser um distanciamento para ser mútuo enriquecimento.
14 de novembro de 2020

Encontro dominical

O domingo é o dia propício para partilharmos a vida, recriarmos a maneira de estar juntos, alimentarmo-nos da Palavra e do Pão, sentirmo-nos enviados como apóstolos da caridade. A proposta arrisca promover uma experiência real de vida, a partir do coração da nossa fé cristã e católica, para que a fé seja vida em cada um de nós, fé ativa no coração da nossa vida.
10 de novembro de 2020

A morte, sem ambiguidade

O mais grave, para o cristão, não é a morte física, mas a espiritual, esta sim é sempre consequência do pecado, porque se toma a decisão de ‘sair de casa’, longe da comunhão com Deus. Na medida em que nos aproximamos de Deus e nos tornamos semelhantes a Jesus Cristo, desvanecem-se o medo e a angústia, crescem a confiança e a esperança.
7 de novembro de 2020

Viver em ação de graças

A gratidão tem efeitos benéficos em todas as dimensões da vida, atrai a confiança e a alegria, faz entrar no caminho da paz e da felicidade. O treino diário torna-se fundamental para incorporar esta prática poderosa, nos encontros entre as pessoas (relações humanas) e na relação com Deus (oração): reconhecer o benefício (inteligência); agradecer a emoção (afetividade); concretizar a ação (vontade).
3 de novembro de 2020

Mais forte do que a morte

Uma esperança mais forte do que a morte, mais forte do que a tristeza provocada pela separação física em relação aos nossos entes falecidos e vivem em Deus para sempre. É uma esperança que aponta para o Pai. Ele quer unir no seu amor os vivos e os mortos... A morte também não destrói a solidariedade, a comunhão.
31 de outubro de 2020

Caminho para a vida

Pelo que sabemos, a vida plena em Deus implica ‘deixar’ este tempo e este mundo. A morte afigura-se como o (único) caminho possível para entrar nos céus, mergulhar no eterno de Deus. Unidos a Deus, sem fissuras no amor, a turbulência e a tristeza da morte dão lugar à esperança e à paz, até à alegria, no caminho para a vida.
27 de outubro de 2020

Criativos na reflexão e ação

Como é que será a Igreja, como é que serão as paróquias e dioceses, depois desta pandemia do coronavírus (Covid 19)? Apesar das incertezas, em período de navegação à vista, é precisamente em tempos como este em que nos é dado viver que mais precisamos de imaginar o futuro, abertos à esperança, sem deixar de ser criativos na reflexão e na ação.
24 de outubro de 2020

Fazer avançar o mundo

Alguns hão de dizer que os sonhos são belos, mas irrealizáveis, são utopia. Como uma grande esperança, a utopia pode ser uma realidade, quando se proporcionam as condições e, juntos, se ousa dar o primeiro passo nessa direção. O impossível rima com passividade e braços cruzados, indiferença e resignação. O sonho rima com ousadia e entusiasmo, compromisso e ação.
20 de outubro de 2020

Verdade que sustenta a vida

A melhor sintonia possível entre o ato e o conteúdo da fé permite manter-nos firmes diante das dificuldades, porque temos um conjunto de verdades que, ainda que não a consigam expressar em pleno, porque imperfeitas, remetem para a única Verdade (com maiúscula) que sustenta a nossa vida, o objeto e a meta da nossa fé.