Reflexões breves

27 de junho de 2020

O ‘terceiro’ elemento

O matrimónio entre dois cristãos não exprime um amor diferente daquele que pode acontecer entre outros casais que se amam, ainda que sem qualquer vínculo civil ou eclesial. Trata-se de uma diferente orientação do amor. Um casal cristão celebra o seu amor como um dom transformador de Deus. Neste casal há uma novidade, um ‘terceiro’ elemento sempre atento e disposto a conduzi-los para o amor divino.
23 de junho de 2020

Traição ou desespero?

A traição é sempre «um rasgão que, de alto a baixo, nos descose [...], estilhaça o nosso quadro interno, precipita-nos na deceção, amarra-nos a um extensa e desconhecida dor». O amor, porém, tem potencial ainda mais forte, a ponto de ser capaz de recoser a amizade. Quando abraço a convicção de que «só quem me ama me pode trair», fico preparado para voltar a unir o frágil tecido da amizade.
20 de junho de 2020

Manso e humilde

Os cristãos, discípulos missionários, somos convidados a aprender com o Mestre a desenvolver um coração manso e humilde. O Coração de Jesus é a expressão da misericórdia, um sinal do grande amor de Deus a cada ser humano. Um amor tanto mais intenso, quanto mais está a pessoa necessitada de amor.
16 de junho de 2020

A força de pertencer

A mudança acontece menos pela pregação ou pelo ensino e muito mais pela construção de relações de confiança e de amizade, através da atenção pessoal e da pertença. Os pequenos grupos surgem como uma ferramenta para fomentar a pertença, de modo que a comunidade se converta numa comunidade de comunidades. São essenciais para uma comunidade expressiva e uma paróquia saudável.
13 de junho de 2020

Amar com todo o coração

A vida espiritual apoia-se na força que brota da eucaristia. Somos convidados a reconhecer, diante do pão consagrado, uma «nudez desarmante». É tal ‘desproporção’ que faz despontar uma atração, uma forma de adoração silenciosa que «gera o espaço propício e o ritmo necessário para a palavra criadora, para o gesto fecundo».
9 de junho de 2020

Plano diário de leitura

Um plano quotidiano de leitura da Bíblia, da parte do crente, permite sustentar a conexão, tecer uma história de amizade com Deus. A leitura bíblica quotidiana alarga o horizonte do crente para os outros ‘livros’ que sustentam qualquer relação de amizade com Deus: a natureza, a vida, a história, os acontecimentos, tudo o que diz respeito ao ser humano.
6 de junho de 2020

Um novo (a)normal

Queremos um novo ‘anormal’, acolher este recomeço das celebrações e encontros comunitários como oportunidade para iniciar a renovação. Também no que diz respeito à relação com Deus. Vamos (re)começar! Propomos fazê-lo sob o signo do amor e da amizade. O ponto de partida consiste em iniciar ou aprofundar a experiência pessoal de amizade com Deus.
2 de junho de 2020

Renovar a devoção

A imagética que acompanha uma grande maioria das imagens e devoções ao Coração de Jesus precisa de ser renovada, tendo em conta este compromisso em estar próximo de tudo o que habita o coração humano. Em especial, os sofrimentos de tantas pessoas, desempregados, doentes, idosos, abandonados, maltratados, emigrantes, e tantos outros com os quais se mostra solidário o Coração de Jesus e dos seus discípulos.
30 de maio de 2020

Presença (in)visível do Espírito

O Pentecostes celebra o nascimento da Igreja, mas também evoca a origem da vida. A ação criadora do Espírito Santo está sempre presente em toda a História da Salvação. O Espírito Santo dá novo sentido a todas as coisas. A presença invisível do Espírito pode ser percebida na visível presença da vida. Esta pode ser uma chave para reconhecer a presença (ausência) do Espírito Santo: onde há vida, aí habita Deus.