Laboratório da fé

29 de julho de 2021

Nunca mais terá fome

Jesus Cristo convida a multidão a repensar o caminho da fé, a fazer memória daquilo que «os nossos pais nos contaram» e a reconhecer «o verdadeiro pão do Céu». E apresenta-se a si próprio como «o pão da vida: quem vem a Mim nunca mais terá fome, quem acredita em Mim nunca mais terá sede».
27 de julho de 2021

Compartilhar a vida

Compartir e compartilhar é ter um só coração e uma só alma, é viver a alegria de pôr em comum como os irmãos. O pão, por exemplo, partido e compartido chega sempre para todos. Compartilhar o pão é tornar-se companheiro, é viver a alegria de condividir o mesmo alimento.
24 de julho de 2021

Décimo Sétimo Domingo, Ano B

Liturgia familiar para o Décimo Sétimo Domingo (Ano B): recisamos de acolher a eucaristia, mais do que rotineiro ritual ou ato de devoção, como uma refeição profética e salvífica, que alimenta a nossa fé e a todos nos implica no concreto da vida.
24 de julho de 2021

Eu estou contigo todos os dias

No quarto domingo de julho, em toda a Igreja Católica, celebra-se o Dia Mundial dos Avós e dos Idosos. Com a entrega de um presente, por exemplo uma flor, e da oração, «a visita é a oportunidade para cada neto dizer aos seus avós, e para cada jovem dizer à pessoa idosa que irá visitar: ‘Eu estou contigo todos os dias!’».
23 de julho de 2021

Uma refeição

A eucaristia é o cumprimento da promessa feita por Jesus Cristo de saciar a nossa fome e sede, preencher todos os nossos vazios. É esse alimento que nutre a nossa vida e nos permite caminhar com vigor nas múltiplas vivências do quotidiano. Por isso, a eucaristia ou se come, ou não é eucaristia!
22 de julho de 2021

Deu graças e distribuiu-os

Na eucaristia, Deus oferece-nos o duplo alimento da Palavra e do Pão. Os textos bíblicos propostos para o Décimo Sétimo Domingo (Ano B) despertam em nós o desejo de celebrar esse ‘alimento’. O mesmo fará Jesus Cristo, ao revelar-se como aquele que sacia todos os famintos: «tomou os pães, deu graças e distribuiu-os [...] e comeram quanto quiseram».
20 de julho de 2021

Descanso do coração

Andamos atarefados. Vivemos como se tudo dependesse de nós. Em tempo de verão, porventura de férias para alguns de nós, com o descanso físico, busquemos também a confiança, reconforto da alma, o descanso do coração, na presença de Deus.
17 de julho de 2021

Somos todos únicos

Somos todos únicos. Cada um é a combinação única das múltiplas inteligências. Assim a raposa ensinou o principezinho a compreender a rosa como única. Ao ver de novo as outras rosas pôde-lhes dizer: «Vocês não são nada parecidas com a minha rosa. [...] São como era a minha raposa: apenas uma raposa semelhante a cem mil outras. Mas, agora que fiz dela minha amiga, ela é única no mundo».
13 de julho de 2021

Pai no acolhimento

Acolher as circunstâncias da vida com responsabilidade é, ao mesmo tempo, desenvolver a capacidade de «reconcilia-se com a própria história». Essa é uma das razões pelas quais Jesus Cristo veio «ao nosso meio»: «para que cada um se reconcilie com a carne da sua história, mesmo quando não a compreende totalmente».