Reflexões,

A biodiversidade como bênção de Deus

1
Partilhas

Entre os dias um de setembro (Dia Mundial de Oração pela Criação) e quatro de outubro (memória de São Francisco de Assis), decorre o ‘Tempo da Criação’. Trata-se de uma celebração anual, que congrega cristãos de todas as tradições e latitudes, em favor da nossa casa comum. Os responsáveis escolheram, para este ano, a temática da diversidade das espécies: «A teia da vida: a biodiversidade como bênção de Deus». 

CRIAÇÃO

A biodiversidade não é um mero assunto de sustentabilidade, porque o ser humano depende de ecossistemas equilibrados e saudáveis. Em primeiro lugar, a diversidade das espécies tem o seu próprio valor no ato criador realizado por Deus.

«Não basta pensar nas diferentes espécies apenas como eventuais ‘recursos’ exploráveis, esquecendo que possuem um valor em si mesmas. […] Por nossa causa, milhares de espécies já não darão glória a Deus com a sua existência, nem poderão comunicar-nos a sua própria mensagem. Não temos direito de o fazer» (Carta Encíclica sobre o cuidado da casa comum, 33).

Entre os dias um de setembro (Dia Mundial de Oração pela Criação) e quatro de outubro (memória de São Francisco de Assis), decorre o ‘Tempo da Criação’. Trata-se de uma celebração anual, que congrega cristãos de todas as tradições e latitudes, em favor da nossa casa comum.

A iniciativa teve origem na proclamação do primeiro Dia de Oração pela Criação, na Igreja Ortodoxa Oriental, pelo Patriarca Ecuménico Dimitrios I, no ano de 1989. Alargou-se, em 2001, a outras Igrejas e, a partir de 2015, foi assumida pela Igreja Católica, por vontade do Papa Francisco.

Os responsáveis pela dinamização do ‘Tempo da Criação’ escolheram, para este ano, a temática da diversidade das espécies: «A teia da vida: a biodiversidade como bênção de Deus». 

Eis alguns dos objetivos: celebrar a dádiva da Criação, em atitude de louvor e adoração, inspirados nos Salmos (entre outros, o Salmo 104 [103]); refletir sobre os maus tratos infligidos à Criação e assumir um compromisso de novos hábitos; praticar a conservação da biodiversidade, nas famílias, escolas, paróquias e demais espaços comunitários; preparar e realizar eventos locais; divulgar as iniciativas mundiais, como o Sínodo para a Amazónia: «Novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral».

A Igreja Católica, através do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, convida-nos a todos, a nível pessoal e comunitário (paroquial), a tomar parte ativa no  ‘Tempo da Criação’. Há vários recursos disponíveis na página seasonofcreation.org/pt